Instituto Beritz - Educação ao alcance de todos!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010 07:17 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , , ,

1

O que é o Instituto Beritz?

O Instituto Beritz é uma rede de troca de valores em prol do Reino de Deus:

1. A Igreja Batista Pedra Angular fornece a infra-estrutura de qualidade;
2. Os facilitadores de aprendizagem fornecem tempo e conhecimento de maneira voluntária dando vazão a seus talentos e vocação;
3. Os Alunos ganham formação a baixo custo ou gratuito;
4. As demais igrejas envolvidas ganham obreiros mais capacitados;
5. O valor financeiro angariado é direcionado para projetos sociais a fim de atender as necessidades do mundo.

Esta é nossa maneira de sinalizar o Reino de Deus através da Educação para Todos!


Entenda a organização do Instituto Beritz


Nossa História

A história do Instituto Beritz começa no ano de 2005 quando o Pr. Fábio Manoel decide mandar alguns dos líderes da Igreja Batista Pedra Angular, em Campo Grande no Rio de Janeiro, para o Seminário Teológico acreditando uma igreja forte se faz com líderes comprometidos e bem preparados academicamente.
Com o passar dos anos, em 2009, nasceu a idéia de criar um "Curso Básico de Teologia" na IB Pedra Angular. Após muita conversa entre os líderes recém-formados, foi dado inicio ao desenvolvimento do projeto.  Mas logo aquele sonho foi ganhando novos contornos e dimensões maiores, agregando outras idéias e objetivos até se tornar o que é hoje.
Assim nasce o Instituto Beritz.
Mais do que apenas um "Curso Básico de Teologia", este projeto acabou se tornando um rede de troca de valores entre várias pessoas e entidades para promoção do Reino de Deus através da orientação vocacional e da capacitação de indivíduos.

Nosso Objetivo

Ser reconhecido como uma referência de rede de troca de valores em prol da sinalização do Reino de Deus na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro agregando continuamente pessoas, parceiros e atividades.

Nossa Visão

Contribuir para o desenvolvimento Integral da sociedade, da igreja e de indivíduos a partir da educação.

Nossa Missão

Buscar continuamente oportunidades para identificar talentos e vocações em indivíduos buscando parcerias que possibilitem as melhores condições para seu desenvolvimento

Estrutura

Sala climatizada, multimídia, coffee break e fácil localização.

Áreas de Atuação

Curso de Formação: Desejamos oferecer cursos variados de forma gratuita ou com baixo custo usando professores voluntários;
Ação Social: Os valores obtidos serão direcionados para projetos de Ação Social;
Orientação Vocacional: Pretendemos desenvolver um programa de orientação vocacional usando voluntários que sejam profissionais especializados, além de buscar parcerias para oferecer estágios ou oportunidades de trabalho.

Instituto Beritz

O FÓRUM CRISTÃO DE PROFISSIONAIS EM 10 PERGUNTAS

quarta-feira, 4 de agosto de 2010 08:51 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , ,

0


1. Como surgiu a idéia do Fórum?

A idéia do Fórum surgiu quando percebi que o tema espiritualidade estava presente no mundo do trabalho e na pauta de discussão do mundo corporativo. O despertamento espiritual no ambiente de trabalho ocorreu nos estados Unidos na década de 1980, que o jornal Washington Post nomeou como “a década da alma”. No Brasil, o tema começa a ser notado no final da década de 1990.

Companhias como a TacoBell, PizzaHut e Wal-Mart, estão contratando capelães que ficam à disposição 24 horas para o cuidado religioso de seus funcionários: visitas em hospitais, cerimônias fúnebres e casamentos, prevenção de estresse e síndromes nervosas, além de aconselhamento psicológico e apoio espiritual a pretensos suicidas. As empresas estão abrindo espaço para a vivência religiosa, na suposição de que os cuidados com a alma ajudam na solução de conflitos no dia-a-dia do trabalho. As barreiras entre trabalho e religião estão caindo por terra.

Há um consenso entre os estudiosos que “as pessoas têm fome de modos para praticar a espiritualidade no local de trabalho… surpreendentemente acreditam que, a menos que as organizações aprendam a envolver a pessoa integral e a imensa energia espiritual que existe dentro de cada uma, não conseguirão oferecer produtos e serviços de padrão mundial”.

Muitas corporações encorajam esta nova tendência, pois crêem que um ambiente de trabalho humanizado, e poderíamos dizer, espiritualizado, cria uma situação ganha-ganha para empregados e organização.

2. A quem se destina o Fórum?

Acredito que pelos três tipos de pessoas se interessarão pelo Fórum. O primeiro é o cristão que deseja maior alinhamento entre sua experiência religiosa e sua atividade ou carreira profissional. As pessoas querem saber como podem levar sua experiência de fé e sua riqueza espiritual para o ambiente de trabalho. A maioria das pessoas vive uma dicotomia entre o mundo religioso e o mundo do trabalho – o mundo do domingo e o mundo da segunda-feira, e isso as deixa de certa maneira frustradas e culpadas.

O outro tipo é aquela pessoa que deseja encontrar sentido para sua atividade e carreira profissional. São pessoas que já descobriram que o trabalho é muito mais do que um jeito honesto de ganhar dinheiro e sobreviver, isto é, o trabalho é uma fonte de desenvolvimento e realização pessoal, um meio de contribuição social, a principal maneira como podemos cooperar para a construção de uma sociedade de justiça e paz. Essas são pessoas que descobriram que a motivação para o trabalho tem que ser mais do que um salário no final do mês.

Finalmente, acredito que as pessoas estão interessadas em espiritualidade, mas não querem saber muito de religião institucionalizada, isto é, as pessoas buscam uma experiência espiritual, mas não estão dispostas (e têm suas razões) a se submeter ao cabresto de uma religião. Por essa razão, o mundo do trabalho se tornou nos últimos anos uma arena onde o tema espiritualidade está na pauta.

3. Fale um pouco mais a respeito de “espiritualidade, sim, religião, não”?

Estamos falando de espiritualidade, e não de religião. A espiritualidade é própria da natureza humana, e, portanto é universal. Assim como temos corporeidade e racionalidade, temos espiritualidade. A religião é a maneira como cada pessoa desenvolve sua espiritualidade. A religião tem a ver com crenças e rituais relativos ao mundo dos espíritos, e em última instância a Deus. A espiritualidade tem a ver com as virtudes ou atributos do espírito, comuns à maioria das tradições religiosas. Amor, justiça, solidariedade, paz, compaixão, cooperação, busca do bem comum são valores universais. Evidentemente, o Fórum é cristão, isto é, está baseado no evangelho de Jesus Cristo. Mas não estamos preocupados em converter pessoas para a nossa religião, nem queremos levar a religião para o mundo do trabalho. Acredito que a religião divide, a espiritualidade agrega. O ambiente do trabalho é, exceto raras exceções, laico, isto é, não está atrelado a qualquer credo religioso, pois cada pessoa tem sua própria religião. Mas o ambiente do trabalho não é vazio de valores espirituais. O que pretendemos é afirmar a importância desses valores e não de uma religião específica.

4. Então, o Fórum não é proselitista?

Isso mesmo, o Fórum não tem como finalidade converter pessoas à religião cristã. O que desejamos é difundir os valores da fé cristã, que como já disse são também comuns à maioria das tradições religiosas, no mundo do trabalho. Acreditamos que pessoas melhores são profissionais melhores, e que um ambiente de trabalho “espiritualizado” é mais criativo, produtivo e sustentável.

5. Quais são, então, os objetivos do Fórum?

O Fórum existe para difundir um jeito cristão de ser profissional, ser empresa e fazer negócios. Queremos dar uma contribuição cristã para as empresas e influenciar as práticas de mercado com os valores cristãos. Queremos acabar com a noção de que a experiência espiritual é uma questão de foro íntimo, privativa, e que não transborda para a vida real. Queremos dizer que trabalho, carreira, dinheiro, business, mercado, produção e consumo, criação de riquezas e distribuição de renda, políticas públicas e sistemas econômicos são assuntos altamente espirituais, e que não apenas os profissionais individualmente, mas as organizações devem dar atenção a esse fato.

6. Qual é a utopia por trás do Fórum?

Hoje se fala muito em outro mundo possível, em nova humanidade ou “outra humanidade”, mas tudo o que temos são referências vagas e de escassa perspectiva de implementação prática. Todos querem um mundo mais fraternal, mais humano e mais solidário. Mas esse tipo de expressão está em uso pelo menos há 30 anos e ninguém sabe ao certo como isso pode acontecer. O que queremos com o nosso Fórum é suscitar esse debate a partir do contexto da espiritualidade cristã. Queremos trazer Jesus e as propostas cristãs para a vida em sociedade para a mesa de discussão. Jesus é mais que um líder religioso, e a fé cristã é mais do que uma crença que afeta a vida de indivíduos. Acreditamos que a tradição cristã, em diálogo com as ciências sociais, tem uma contribuição significativa para que os anseios comuns dos homens e mulheres de boa vontade se tornem realidade.

7. Quais serão as atividades do Fórum?

Por enquanto o Fórum vai se articular ao redor de quatro grandes eixos. Primeiro teremos encontros mensais, com palestras e painéis onde colocaremos em debate grandes temas e ouviremos a contribuição de pessoas comprometidas com essa espiritualidade integral. Também queremos multiplicar pequenos encontros para conversas informais a respeito de toda essa tematização. Imaginamos cafés da manhã, almoços e happy hours em que as pessoas estejam juntas para conversar a respeito de coisas que realmente são importantes e afetam suas vidas em profundidade. Além disso, pretendemos realizar congressos anuais, oferecendo a esse público a oportunidade de ouvir pessoas que estão fazendo diferença no mundo, a maioria delas, inclusive, anônimas. Finalmente, queremos oferecer recursos através de um site, que seja inclusive um local virtual de encontro para os interessados no tema.

8. Quais são as perguntas que o Fórum se propõe a responder?

O universo de questões que justificam a existência do Fórum é quase infinito. Mas por trás de todas elas paira no ar a sensação de que não é possível ser ético e comprometido com os valores espirituais no ambiente competitivo das empresas, no contexto social de corrupção sistêmica, e com as atuais regras do mercado. Nossa cultura sugere que as pessoas bem sucedidas e que enriqueceram certamente venderam a alma para o diabo. Ricos e bem sucedidos são inimigos do povo, vistos e tratados como bandidos, e não servem de exemplo de integridade – bem, isso em muitos casos é verdade. Mas precisamos acabar com essa falsa idéia de que o sucesso e a prosperidade não são compatíveis com espiritualidade, ética e sustentabilidade. Precisamos desmentir o pressuposto de que ser justo é preciso ser franciscano, e deixar de ser competitivo. Crenças como “leve a espiritualidade para o seu trabalho e ganhe menos dinheiro” devem ser superadas. Queremos afirmar a espiritualidade como caminho para um mundo sustentável.

9. Haverá FCP em outros lugares e outras cidades?

Nossa idéia é muito mais próxima de movimento. Não queremos criar uma organização nem institucionalizar a proposta. O Fórum Cristão de Profissionais é uma iniciativa da Igreja Batista de Água Branca, e desejamos vê-la multiplicada em muitos lugares. Estaremos satisfeitos se servirmos de inspiração para que iniciativas semelhantes se multipliquem em outros lugares e estamos dispostos e comprometidos a dar apoio para quem assim desejar.

10. Por que vocês estão fazendo isso?

Acho que podemos responder de três maneiras. Primeiro, por uma questão pessoal. A espiritualidade tem essa coisa de busca de sentido. Uma evidência de que somos espirituais é a nossa constante busca de fazer a vida valer a pena. Acredito que todos nós estamos querendo fazer algo significativo. Outra razão é a compreensão de que a vivência da espiritualidade cristã extrapola o espaço religioso, e se manifesta na cultura, na política, na construção de uma sociedade de justiça e paz. Finalmente, nossa iniciativa é uma forma de darmos conseqüências práticas ao nosso seguimento de Jesus: Ele disse que deveríamos ser sal da terra e luz do mundo. O Fórum é uma das nossas respostas a esse imperativo.

Fórum Cristão de Profissionais

08:35 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , ,

0

O que é?
Primeiro, por uma questão pessoal. A espiritualidade tem essa coisa de busca de sentido, uma evidência de que somos espirituais é a nossa constante busca de fazer a vida valer a pena. Acredito que todos nós estamos querendo fazer algo significativo. Outra razão é a compreensão de que a vivência da espiritualidade cristã extrapola o espaço religioso, e se manifesta na cultura, na política, na construção de uma sociedade de justiça e paz. Finalmente, nossa iniciativa é uma forma de darmos conseqüências práticas ao nosso seguimento de Jesus: Ele disse que deveríamos ser sal da terra e luz do mundo. O Fórum é uma das nossas respostas a esse imperativo.



























Vídeo Promocional – Fórum Cristão de Profissionais

08:28 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , ,

0

Brasileira que evitou roubo falando de Jesus

terça-feira, 3 de agosto de 2010 18:14 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , , , ,

0

Ela diz que ficou chateada ao saber que assaltante foi pego em outro roubo.

Nayara Gonçalves, de 20 anos, nunca tinha sido assaltada.
Apenas quatro minutos depois de abrir a loja de celulares em que trabalha em Pompano Beach, na sexta-feira retrasada (23), a mineira Nayara Gonçaves viu um homem entrar todo vestido de preto. Ela percebeu que havia algo estranho, mas não conseguiu fechar a porta a tempo. Ele se aproximou do balcão, perguntou preços de aparelhos e logo mostrou uma arma, anunciando um assalto. Em vez de entregar de cara tudo o que tinha no caixa, Nayara decidiu conversar com o homem, e acabou convencendo ele a desistir do roubo.
"Percebi que ele não era má pessoa. [...] Ele disse que odiava ter que fazer aquilo, mas que precisava de todo o dinheiro que tinha no caixa. Eu disse: 'antes de fazer qualquer coisa eu quero te falar um pouco de Jesus'. Comeceia dizer que era evangélica e que esse não era o caminho certo. Ele ouviu, não apontou mais a arma pra mim e falou que precisava de US$ 300 para não ser despejado do apartamento em que morava", disse a brasileira de 20 anos em entrevista ao G1, por telefone.

O assaltante, depois identificado como Israel Camacho, de 37 anos, disse que Nayara estava certa e que não queria machucá-la. Ela ofereceu ajuda para ele arrumar um emprego, e ele disse que já tinha um trabalho, mas precisava do dinheiro imediatamente. "Jesus pode mudar a sua vida", ela dise. Já a caminho da porta, o assaltante olhou para a brasileira e mostrou a arma falando: "quer saber de uma coisa? Isso nem é de verdade, é uma arma de brinquedo."

Nayara nunca foi assaltada antes. Nascida em Mantena (MG), ela mora com a família nos EUA há cinco anos e é gerente da loja. "Fiquei muito nervosa, porque não sabia qual seria a reação dele. Meu chefe quando viu as imagens das câmeras de segurança disse que eu era louca, que devia ter entregado o dinheiro. A policial da delegacia me falou que nunca tinha visto algo assim."
A fala da brasileira pode ter poupado um assalto à loja em que trabalha, mas não impediu que o assaltante voltasse a roubar. Camacho foi preso no mesmo dia, após invadir uma loja de sapatos poucas horas depois da tentativa frustrada de levar dinheiro do estabelecimento onde Nayara trabalha. "Fiquei muito chateada quando soube. Achei que ele realmente tinha se arrependido, que eu tinha plantado uma semente em seu coração. Mas acho que agora ele vai repensar e ainda pode fazer um compromisso com Deus."

Um Missão Diferente - Parte 2

sábado, 31 de julho de 2010 00:46 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , , , ,

0

Por Carla de Paula Berigo
Via Osmose Emocional


Hoje passei outra experiência interessante, quero compartilhar aqui neste meu diário virtual e acho que mudarei o nome dele para: Crônicas de Transporte Urbano...risos.
Estava fazendo integração, ou seja, por ter perdido meu ônibus, peguei um outro que chega mais rápido para alcançar o que perdi...aqui em Campinas, se o usuário utiliza 2 ônibus dentro de 1 hora, paga somente uma passagem.
DEUS sabe porque perdi meu ônibus... estava eu ali ouvindo duas mulheres falando, a Motorista e a Cobradora, reclamando de um fiscal, ou chefe, não sei bem... mas que o sujeito era muito grosseiro e mau educado... o ponto máximo da conversa foi que chegaram a combinar em chamar polícia e registrar as ofensas que ambas constantemente recebem dessa pessoa... e nesse meio tempo, eu que sempre faço minhas orações matutinas dentro do transporte urbano, estava tentando não ouvir esta conversa naquele micro-ônibus.
Neste quase interminável trajeto, uma moça morena, aparentemente com seus 25 anos, entra no ônibus e já pede a carona para a motorista, alegou que estava sem dinheiro para passagem.
A motorista cedeu, e continuou com a sua companheira, as reclamações contra o sujeito indesejado.
E eu orando para minha lista pessoal e de pessoas...
Chegando quase no meu destino, e também da moça, a motorista e a cobradora com muita estupideza, falam para a moça descer 2 pontos antes do destino dela final, pois se a fiscalização visse, iria punir a motorista... e a moça exclamou: - Eu não sou daqui, vim para pegar neste ponto que falei, um outro ônibus fretado da empresa que vou fazer entrevista de emprego.
E a cobradora ficou falando como uma tagarela...humilhando a moça passageira... mas tão alto que não deu para orar mais, parei para olhar a cena... e me indignei com tamanha falta de educação, gentileza e insensibilidade daquelas mulheres que a minutos estavam se queixando de um homem estúpido!
Me levantei e disse para a moça: - Moçaaaa, (tive que falar alto, porque a cobradora não me ouvia de tanto que tagarelava, humilhando a coitada!) escuta aqui, eu vou pagar a sua passagem! Pode passar na roleta.
Quando ela passou na roleta, se sentou atrás de mim dizendo: -Que situação! - E se pôs a cair em lágrimas.
Olhei para a cara daquelas mulheres, a cobradora e a motorista, seus rostos estavam caídos, e agora estavam caladas.
Virei para aquela moça e disse: Confie em DEUS, e Ele te abençoará!
Me direcionei para a porta para descer no final daquele ponto, rumo para pegar o ônibus que perdi e ela me disse ainda chorando, para mim: "Moça, que DEUS lhe pague!"
Eu: "Sim, ele já me pagou! Eu já passei o que você passou."
Hoje pela manhã eu disse: Eis-me Aqui Senhor... e ele me enviou aos humilhados... a esses DEUS cumpre a promessa que serão exaltados.
Eu vi os rostos daqueles que humilhavam, serem humilhados, simplismente porque não fizeram o que deveriam fazer: O BEM!

DEUS NOS USA...

sexta-feira, 23 de julho de 2010 09:21 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , , , , , , , ,

0



“ Vede entre as nações, e olhai, e maravilhai-vos, e admirai-vos: porque realizo nos vossos dias uma obra, que vós não crereis, quando vos for contada.” Hab. 1.5
 
Vivemos na aldeia de Muzun, Mali, onde há aproximadamente dois mil habitantes que em sua maioria seguem a religião islâmica e crenças animistas. Quando chegamos na aldeia não havia nenhuma presença cristãe por isso, nos sentimos desafiados por aquilo que o Senhor estava preparando para nós e para este povo. Passamos por muitas lutas, ainda mais por sermos os primeiros.

A aprendizagem do francês e do dialeto bambará, foi e ainda tem sido bem desafiador, falar a língua do povo é algo essencial para conquistarmos sua confiança e abre portas para relacionamentos. Temos presenciado isso a cada dia, pois eles têm nos deixado conviver em seu meio e com isso, temos tido a oportunidade de falar de Jesus. Mesmo com pouco vocabulário do dialeto que sabemos, Deus não se limita a nós, pois com palavras ou sem palavras Ele tem agido de forma maravilhosa nesta aldeia que, como nós, tem fome e sede da graça.
 
No mês de julho aconteceu algo extraordinário, que chamamos de “filha de Jairo”. Em uma certa manha a filha adolescente de nossa vizinhaaproximou-se do muro de nossa casa chorando com muita dor na barriga. A princípio pensávamos que não era  nada grave, pois como havia chegado o período das chuvas, as águas dos poços ficam mais sujas, trazendo assim algumas doenças.

Deixamo-a entrar e como não sabíamos o que realmente estava acontecendo fizemos uma compressa de água quente  em sua barriga para amenizar a dor e também começamos a orar quando vimos que a dor não passava.  A dor aumentava e ela já estava sem força até mesmo para chorar. Como não tínhamos remédios e não sabíamos o que era, ligamos para um amigo taxista que é muçulmano, para a levarmos até um hospital na capital e o aguardamos.Em um certo momento ela perdeu os sentidos, não escutava, nem conseguia falar, parecia estar em outro mundo, pois ela permanecia de olhos abertos.
 
A nossa equipe é composta por  8 pessoas, e neste dia havia cinco e apenas mulheres. Quando analisamos o quadro que estava acontecendocomeçamos a orar incessantemente pedindo ao senhor que nos cobrisse com poder e autoridade do nome de Jesus e que tudo o que se passasse fosse para glorificar o nome dEle.

A menina estava deitada inconsciente em nosso colo, algumas pessoas da aldeia começavam a chegar em nossa casa, inclusive a mãe e o pai, naquele momento, Deus fez com que a menina se passasse por morta aos olhos das pessoas, mas nós cinco sabíamos que ela estava viva. Alguns, principalmente de sua família começavam a chorar, mas eram interrompidas, pois na cultura não permite que se chore por uma pessoa morta. A todos que vinham até nós, falávamos que ela estava apenas dormindo e que logo iria se levantar, pois estávamos orando e Jesus iria cura-la.
 
Tudo isso começou pela manhã e a tarde antes das quatorze horas a menina acordou sem dor e com fome. As pessoas ficavam olhando maravilhados e chamavam outros para ver o que acontecera. O nome do Senhor foi glorificado mais uma vez. 
 
Deus é Soberano e sabemos que está no controle de todas as coisas.
Quando paramos para pensar hoje no que aconteceu, vemos a forma maravilhosa como Ele planejou tudo nos mínimos detalhes.
 
Antes da menina acordar, um homem muçulmano que é parente dela, percorreu a aldeia atrás de um enfermeiro, mas depois de tudo ele nos contou que na verdade estava procurando um Imã ( chefe relogioso) da mesquitapois acreditava que ela estava morta. O Imã como chefe religioso, também é o responsável em fazer todos os rituais necessários para entregar a alma a ALLA (deus) conforme o alcorão (livro sagrado para os muçulmanos). Mas não o havia encontrado.
 
Assim que chegou e viu a menina bem, ficou sem palavras, apenas agradecia pela oração. Um pouco depois chegou também em nossa casa o nosso amigo taxista que havíamos chamado. Pudemos contar a ele tudo o que Jesus fizera e que a menina não precisava mais ir  à capital. Ele ficou sem exagero, extremamente  feliz ao saber de tudo isso, mesmo sendo ele “ainda” muçulmano ( Deus tem falado muito ao coração deste homem).
 
“A religião que Deus, nosso pai aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo.” Tg 1.27

Deus fez algo mais, a mãe da menina retornou a nossa casa e nos falou de sua alegria diante do que havia acontecido, o parente da menina nos falou também que a partir desta situação, ele pode ver algo diferente no caminho que nós seguimos e que a aldeia estava impactada com tudo o que se passou, pois diziam que ela estava morta, mas nós oramos e ela teve vida novamente. Ele nos falava estas coisas “emocionado”, e isto é algo difícil na cultura.

Vimos o Senhor agindo! Nunca tínhamos visto um sorriso tão sincero no rosto deste homem como neste dia.  “... disse Jesus a Jairo: não temas, crê somente” (Mc 5.36)
Em uma certa ocasião nos lembramos da ressurreição de Jesus quando alguma mulheres vão até o sepulcro para levar algumas especiarias. Já era o terceiro dia, mas naquele momento elas estavam sem esperança. Até que apareceram dois anjos e lhes fizeram lembrar das palavras do Mestre. A parti daí a esperança delas volta. Citamos este exemplo, pois a mãe da adolescente nos disse chorando na conversa que antes ela vivia sem esperança, mas com a nossa vinda para aldeia, a esperança nasceu em seu coração. Tivemos mais uma oportunidade de falar o quanto Jesus a ama e ama a todos aqui.
É até “engraçado”, pois quem nos ajudou na tradução foi o taxista muçulmano e ele falava tudo alegremente. Sabíamos que o Senhor estava falando ao seu coração também. Todos saíram agradecendo a Deus por tudo.
 
O povo realmente está sedento. Mais tarde o parente voltou e pôde ouvir mais sobre Jesus. Pedimos a ele que guardasse estas palavras em seu coração, que nós estamos aqui nesta aldeia para dizer que Jesus ama a todos. Ele disse que guardaria.
 
“Porque o Espírito Santo vos ensinará naquela mesma hora, as coisas que deveis dizer.” (Lc 12.12)

Esse foi o dia em que Deus usou cinco mulheres para orar e testemunhar do nome de Jesus em um meio muçulmano, onde elas são desvalorizadas e não têm voz. Não temos noção dos mistérios de Deus, pois são muito grandes e vão além do que pensamos ou imaginamos, mas temos a certeza do poder e autoridade que há no nome do Seu Filho para quebrar cadeias eparadigmas. E tudo o que pudemos ver e contemplar naquele dia foram para que este mesmo Nome fosse glorificado nesta pequena aldeia chamada,Muzun.
 
Algo que falamos é que se Deus nos trouxe aqui somente para este dia e fim, nós nos sentimos privilegiados por  ter podido contemplar e ver o seu agir em nós e no povo com quem vivemos.

Os campos estão brancos para a ceifa, e independente de povo, língua e nação; homem, mulher e criança, Ele nos chama para sermos despenseiros de Sua graça. Ele acredita em cada um de nós e nos capacita para exercermos este papel.
 
O mundo está clamando! E o que você está esperando?
 
Cíntia, Geima e Vivien
vivienrachel@gmail.com
Muzun - Mali
Radical África 5
Junta de Missões Mundias
Convenção Batista Brasileira

Ipê Rosa como Sinal da esperança e do Reino

segunda-feira, 5 de julho de 2010 13:30 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , , , ,

1


Hoje eu estava indo para trabalho e parei em um sinal de trânsito que fica bem em frente a um quartel da Brigada Paraquedista da Vila Militar do Rio de Janeiro.

Fiquei olhando para entrada de quartel que era muito bonita e arborizada. Em meio a muitas palmeiras, coqueiros, pinheiros e outras arvores de visual predominantemente verde havia um lindo e floridíssimo Ipê Rosa. Que cena fantástica...como aquele Ipê se destacava e abrilhantava a entrada daquele quartel em meio as demais arvores que faziam um pando de fundo com vários tons de verde para prover um belíssimo contraste com o seu rosa contundente.

Tenho vivido uma vida mais feliz, leve e alegre. Tenho aprendido a admirar a beleza da natureza. Tenho aprendido esta encantadora linguagem de Deus. Tenho aprendido a me olhar no espelho enquanto observo a vida. Tenho tentado ouvir a voz de Deus por vias mais doces e coloridas.
Mas algumas vezes, muitas vezes, a vida não é simples, agradável ou mesmo explicável. Há momentos em que o cenário é de guerra. Há momento em que nos vemos fatigados como “exércitos de um homem só”, há momentos em que a solidão se faz nossa companhia, há momentos em que o luto abate nossa alegria e a dor é o nosso cotidiano. Felizmente este não é meu caso neste momento, mas sou solidário a corações partidos, a famílias em dor, aos enlutados pelo pequeno Gabriel que falecera neste domingo.
A vida simplesmente segue, devemos estar em nosso posto, cumprindo nossos plantões, fazendo nosso papel, devemos estar preparados para a batalha, com armas em punho. Mas nunca poderemos deixar a vida se resumir às obrigações e contingências...não podemos viver olhando apenas as variações de tons de verde durante nosso ir e vir...precisamos aprender a olhar os Ipês Rosas que insistem em saltar aos nossos olhos e nos agraciar com sua beleza penetrante, precisamos olhar para as belezas que se nos apresentam em forma de esperança em meios aos dias de marasmo ou de dor.
Há momentos que nossa vida está em paz e pouco valorizamos nosso ir e vir, mas não deixe de observar o Ipê Rosa. Mais cedo ou mais tarde o Outono vai chegar e as folhas vão cair.

Ame e valorize seus amigos e sua família, admire-os, contemple-os, faça elogio e tenha prazer neles.

Sem a pretensão de ter escrito uma conclusão...

Forte Abraço!

Marcos Nunes

Igualdade de gênero como Sinal do Reino.

terça-feira, 22 de junho de 2010 18:58 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , ,

2


Esta semana li uma excelente notícia de uma das maiores empresas do Brasil. A Petrobras e mais 38 grandes empresas do mundo acabam de assinar uma documento na ONU, mais especificamente no Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (Unifem), se comprometendo a desenvolver ações que atendam aos "Princípios de Empoderamento da Mulher".

Este movimento da ONU \ Unifem visa promover um ambiente empresarial nas nações onde haja mais igualdade de gênero (entre mulheres e homens).

Iniciativas deste tipo agregam muito valor comercial a marcar e muita capacidade de empreendedorismo e inovação na gestão destas grandes empresas. Não obstante a isto, olho para este tipo de iniciativa como um movimento de valorização da mulher como ser humano digno de lugar na nossa sociedade.
Vejo este tipo de ação com bons olhos, pois também sonho com um mundo de mais igualdades. Sonho com um mundo onde haja mais igualdade de gênero, sonho com um mundo onde haja mais igualdade social, sonho com um mundo onde haja mais igualdade racial e, ainda que muitos não concordem, ainda que eu trabalhe para a conversão de indivíduos e de nações ao cristianismo, sonho com um mundo onde haja mais igualdade religiosa.
A liberdade religiosa é um dos valores mais importantes do cristianismo protestante ainda que hoje muitos cristãos tenham sido enredados pelo "canto da sereia" do PODER (político, midiático, de influência, religioso, financeiro, comercial e etc).

A liberdade religiosa é a liberdade de escolha, é a liberdade da consciência, a liberdade do livre exame das escrituras que é uma ação em prol da liberdade religiosa. Cristo foi uma promotor de iguardade de todos os tipos.

Será que alguém poderia me dizer se no Reino pode haver diferença entre gêneros?
 
Se o Reino de Deus que está inaugurado desde agora e ainda é parcial, mas deve expressar a maior quantidade possível de características do Reino de Deus que será pleno ali e além. Será que estes "Princípios de Empoderamento da Mulher" propostos pela ONU não estão colaborando com uma sinalização do Reino de Deus aqui e agora?
 
Forte Abraço!

Marcos Nunes

Casa do Julgamento - Tema: Colisão em Campo Grande. (Agosto)

segunda-feira, 21 de junho de 2010 19:34 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , ,

3

VEM AÍ! EM AGOSTO... 

Um evento que todos esperavam!!!
Uma experiência que você nunca mais esquecer!
Você sabe realmente aonde suas decisões vão te levar???
Três Finais de semanas de apresentações!
Dias 7, 8, 14, 15, 21 e 22 de Agosto.
À partir das 20:00hs.

Casa do Julgamento® é uma apresentação teatral interativa que lida com as escolhas feitas pelas pessoas e as conseqüências dessas escolhas nesta vida e na eternidade.
Mas Casa do Julgamento® é bem mais do que isso. Nem uma outra ferramenta tem se mostrado tão eficaz em apresentar às pessoas uma oportunidade de escolherem um relacionamento pessoal com Jesus Cristo.

Em mais de 20 anos de história Casa do Julgamento® tem estabelecido um impressionante registro como uma das mais eficazes ferramentas de evangelização para alcançar aqueles que têm certa resistência de virem a um culto tradicional ou eventos evangelístico.

Desde seu inicio em 1983 um número estimado de 3.9 milhões de pessoas já assistiram a uma apresentação de Casa do Julgamento® e 390.000 tomaram, pela primeira vez, a decisão de seguir a Jesus. Além disso, Casa do Julgamento® tem um incrível impacto sobre as igrejas e organizações que escolhem, em parceria conosco, montarem Casa do Julgamento® em sua cidade. Essas igrejas e organizações estão continuamente relatando que a montagem de Casa do Julgamento® unifica as pessoas, trás foco e enriquece a vida de oração, também fortalece o compromisso de alcançar os sem igreja em sua comunidade.

TEMA

Pedro e Andréa estão tendo problemas para ouvir seus filhos adolescentes Ana e André. A pressão extra que Pedro vem sofrendo por causa da sua demissão o faz beber em excesso e descontar seus problemas na família, especialmente em Ana. Na escola, um amigo chamado João, preocupado com Ana, fala para ela como ter um relacionamento pessoal com Jesus, ela aceita a Cristo. Ana, agora com uma nova perspectiva de vida, escreve ao seu pai uma carta, expressando o seu amor e o amor de Jesus por ele. Tragicamente um acidente de carro mata Ana, João e seu irmão André (que havia rejeitado a mensagem do Evangelho), enquanto voltavam da escola. O arrependimento de Pedro fica evidente quando ele fica sabendo, pelos médicos, da tragédia que aconteceu aos seus filhos. A carta escrita por Ana foi encontrada entre suas coisas e dada aos seus pais. Pedro lê a carta e fica arrasado juntamente com Andréa.

ONDE?

Igreja Batista do Parque São Basílio
Rua Aricuri, 1716 Campo Grande RJ.
Tel.: 2415-4177
Agendamento à partir do dia 28/6/2010, tel. 33947664.


A importância de ter foco e andar com Deus

terça-feira, 15 de junho de 2010 21:57 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , ,

0

Faz algum tempo que combinei com minha noiva que poderíamos fazer um acordo para desenvolvermos uma maior comunhão nas questões devocionais. A partir de então, escolhemos um livro da Bíblia e líamos 1 capítulo por dia, cada um lê sozinho.

Quando terminamos o livro de Deuteronômio ela propôs que lêssemos Josué, mas desta vez seriam dois capítulos por dia, eu chorei um pouco mais topei.

Logo no início da leitura fiquei muito feliz, pois o relato da experiência em que Josué assume o “ministério de Moisés” me ensinou coisas muito interessantes. É bom ver como Deus insiste em declarar e mostrar a Josué que Deus seria com ele, assim como foi com Moisés.

Seria muito natural que Josué se sentisse inseguro no início de seu ministério, mas Deus o cercou de cuidados e de promessas o tempo inteiro.

Mas Deus não deu só seus cuidados e promessas. Ele também deu instruções importantes a Josué.

“Tão somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares.” Josué 1.7

Ele disse: “Esforça-te e tem bom ânimo”

Ele disse: “Não te desvies [livro desta lei] nem para direita e nem para esquerda.”

Fiquei refletindo sobre estas instruções de Deus para Josué e percebo que nem sempre é tão fácil manter o foco nas coisas que devemos fazer. Por isso mesmo que Deus diz a Josué que é necessário “se esforçar” e “ter bom ânimo”.

Manter o foco nos exige muita força, muita força de vontade. Deus está dizendo que para Josué cumprir a tarefa inacabada por Moisés seria necessário muito foco (não se desviar para a direita e nem para esquerda).

Sei que quando o texto fala de “não se desviar para direita e para esquerda“ faz uma referência clara à necessidade ser fiel ao Senhor depois que o povo vencesse Jericó, mas até mesmo para manter este tipo de fidelidade precisamos de foco e para isso precisamos ser corajoso, precisamos ter bom ânimo.

Somente seguindo estas instruções do Senhor conseguiremos ser bem sucedidos nos nossos desafios e conseguiremos vencer as “muralhas de Jericó“ que aparecem em nossas vidas.

Fórum Jovem de Missão Integral - Rio de Janeiro

19:30 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: ,

1

Nesta segunda-feira, véspera da estréia do Brasil na Copa da África do Sul, tive o privilégio de participar de uma reunião com outros jovens do Estado do Rio de Janeiro que estão muito interessados em divulgar, discutir e viver as experiências de Missão Integral em nosso estado. Era uma reunião sobre o Fórum Jovem de Missão Integral no Rio de Janeiro – FJMI-RJ.

Este grupo já se reúne e já se envolve com os movimentos nacionais de Missão Integral há bastante tempo e recentemente fui convidado pelo Pr. Rainerson (Igreja Batista da Central da Barra da Tijuca) para participar do grupo.
 
Encontramos-nos na em frente a capela do Seminário Teológico Batista do Sul da Brasil na Tijuca – Rio de Janeiro – RJ. De lá saímos para almoçar em um restaurante de fast food (bem cara de jovem).

A reunião que tivemos foi bem de acordo com a faixa etária que temos: Todos falando ao mesmo tempo, hora todos falavam de coisas totalmente diferentes achando que estavam falando a mesma coisa, hora todos falando a mesma coisa de maneira totalmente diferente.

Telefones tocando, comentários sobre a comida, piadinhas, “zoação mútua”, cada um tentando explicar a sua idéia, um interrompendo o outro para tentar organizar a conversa, mas todos acabavam complicando mais ainda as coisas e nada de sairmos do “Zero”. Coisa de jovem.

Por fim, conseguimos conversar algumas coisas e voltamos para Seminário para preparar um email para o restante do grupo para pensarmos em uma pauta para uma próxima reunião onde decidiremos como vamos fazer os eventos os eventos preparatórios para o FJMI-RJ, que é também é um evento preparatório para o Fórum Jovem Nacional Missão Integral.

O que está em nossos corações é desenvolver uma estratégia com vários eventos em igrejas locais que tenha foco em líderes de jovens do maior número de denominações possível e do maior número de regiões possível.
A proposta é ampliar o conhecimento dos conceitos e da prática da Missão Integral em nossa juventude fluminense de maneira que quando estes jovens assumirem uma lideranças eclesiásticas possam desenvolver seus ministérios baseando-se nestes conceitos de Missão Integral.

Nossa próxima reunião será no mesmo local, dia 10/07/10 – 10:00hs.

O Senhor é a minha bandeira

quarta-feira, 2 de junho de 2010 19:39 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: ,

2

Eu moro perto de uma Vila Militar na cidade do Rio de Janeiro e faz algum tempo que tenho feito caminhadas antes de ir para o trabalho. Sempre estou acompanhado de um tio e um vizinho, ambos já serviram ao exército e eles sempre contam histórias curiosas deste tempo.

Logo cedo presencio os oficiais comandantes chegando aos quartéis e sendo recepcionados pelos soldados que "estão de serviço". Um evento formal e intrigante que, a meu ver, não tinha muita relação com um mundo dinâmico como o que vivemos.

Outro dia destes saímos para caminhar mais cedo e presenciamos outra cena mais forte ainda, que eu ainda não havia presenciado. Quando passamos em frente a um dos quartéis os soldados começaram a se posicionar para outra reverência e eu logo prestei atenção para ver quem estava chegando, mas logo percebi que não era a recepção de uma pessoa, mas sim, o hasteamento da bandeira do Brasil.

 É possível perceber claramente que quando bandeira do Brasil é hasteada, supera em muito, a recepção de qualquer comandante, seja capitão, major ou general. Todos os soldados ao redor paravam suas tarefas e prestavam continência a bandeira nacional. O fato que mais me impressionou foi o de uma daqueles militares que parou o seu carro no meio do trânsito, saiu do carro, deixou a porta do motorista aberta, estufou o peito e ficou alguns minutos prestando continência a bandeira enquanto uma fila de carros se formava atrás dele sem esboçar nenhuma tentativa de buzinar ou reclamar.

Não sou tão fã do militarismo assim, mas esta disciplina e a devoção aos símbolos me impressionam. É quase, ou mais do que, uma religião. Há uma cultura encravada nos peitos destes homens que os levam além das suas forças, algo que forja as suas almas de tal maneira que não há mais como desertar de suas vocações em qualquer circunstância que seja.

Fico me perguntando como é a relação dos cristãos com os seus símbolos: qual a postura deles diante dos seus valores mais densos e profundos? Qual o motivo que os fazem parar tudo em nome de um BEM maior? Não falo de uma bandeira ou algo tangível, falo de princípios. 

É muito interessante quando encontramos cristão que param tudo por amor ao próximo, que reverenciam a solidariedade, que prestam continência a ética, que assumem uma postura forte e correta diante do soar das cornetas dos famintos, que atendem os comandos do nosso general quando nos diz que "a ordem é para marchar', que são obedientes quando a voz de comando ordena "meia volta volver".
Devemos Sinalizar o Reino!

Somos chamados para ser porta-estandarte e devemos dizer como Moisés "O SENHOR É MINHA BANDEIRA" Ex: 17.15.

Finalizo este artigo propositalmente deixando um gostinho de “quero mais”.

Forte Abraço!

Marcos Nunes

Libertação segundo a Teologia Feminista

terça-feira, 11 de maio de 2010 00:41 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , , ,

3


Segundo a maioria dos teólogos o pecado está intimamente ligado a questão do orgulho. Em Lutero é emancipação, egocentrismo, descrença e negação da fé em Deus. Para Paul Tillich o pecado é uma alienação em relação a Deus[1].
A teóloga feminista Elisabeth Moltmann-Wendel[2] nos trás uma importantíssima contribuição, pois nos ensina a olhar e a analisar as origens do pecado no universo feminino. Sei que muitos são generalistas, talvez fundamentalistas, e não aceitam estes tipos de análises teológicas que usam cortes sociológicos por gênero, classe, cor, naturalidade, grau de instrução e etc.


Mas a teóloga citada observa que no universo feminino, em muitas ocasiões, o pecado não se origina no orgulho e, sim, na autonegação. Este seria um dos fatores mais freqüentes nos pecados do universo feminino. Na ótica de Lutero e Tillich o pecado significa “pretender ser igual a Deus”, a afirmação do seu “EU” (ego), no caso do universo feminino o pecado tem uma forte tendência de se originar na negação do seu “Eu”, o medo de ser ela mesma, com a submissão radical, a negação da sua identidade, a baixa auto-estima, falta de coragem e etc.
Segundo Elisabeth Moltmann-Wendel a “libertação do pecado precessar-se-ia como aprendizagem do amor próprio e com o êxodo do mundo patriarcal a uma vida orientada pelo amor e pela alegria[3].
A teologia feminista nos trás um olhar muito peculiar e ao mesmo tempo libertador sobre a realidade do universo feminino. Muitas vezes as mulheres são criadas e chegam à fase adulta oprimidas pelas forças que seus pais exercem na infância e adolescência e que o marido e os filhos exercem na fazer adulta. Muitas vezes a experiência de autonegação tem sido transformada em falta de amor próprio, e por tanto, vai de encontro à vontade de Deus para sua criação.
Mesmo a teologia feminista insiste que esta situação de escravidão e pecado não é exclusiva das mulheres, existem casos de homens que sofrem do mesmo tipo de dependência familiar, por tanto, não conseguem se sentir livres para constituir uma nova família com novos padrões.
É necessário ressaltar que a autonegação também pode ser uma qualidade se for exercida com equilíbrio. Jesus disse: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me.” Lc 9.23. O problema não é o indivíduo “negar-se a si mesmo”, o problema é o indivíduo se deixar ser subjugado e oprimido por sistemas, estruturas, doutrinas, culturas ou pessoas enquanto agentes de dominação.
“O amor próprio, protegido contra a moléstia do egoísmo e da perversão do narcisismo, é pressuposto de saúde humana e condição indispensável do amor ao próximo”[4].
Uma experiência de vida e de família que sinaliza o Reino de Deus é uma experiência que mostra em nossa casa hoje, aquele tipo de relacionamento livre e amoroso que vamos viver plenamente no céu.
Abaixo a dependência emocional!
Abaixo a baixa autoestima!
Viva a experiência de autonegação por amor!
Viva as nossas famílias!
Marcos Nunes

Bibliografia:
BRAKEMEIER, Golttfried. O ser humano em busca de identidade: Contribuições para uma antropologia teológica. São Leopoldo: Sinodal: São Paulo: Paulus, 2002.
Notas:

[2] Elisabeth Moltmann-Wendel é esposa de Juger Moltmann, um dos maiores teólogos do Séc. XX e principal fundados da Teologia da Esperança, para saber um pouco mais Clique Aqui.
[3] Ibid, p. 67.
[4] Ibid, p. 67.

Prenúncios

sábado, 8 de maio de 2010 17:33 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: ,

0



A chaleira no fogão é prenúncio da caldeira na fábrica,
O lençol que balança no varal é prenúncio da vela que empurra o navio,
A teia de aranha suspensa entre duas paredes é prenúncio da ponte que ligará dois continentes,
O pensamento acalentado na alma é prenúncio da ação generosa,
A mágoa escondida no coração é prenúncio da vingança fatal,
A insatisfação regurgitada como ingratidão é prenúncio da ganância invejosa.
A fome de justiça é prenúncio do alvorecer do Reino de Deus.

Fonte: Ricardo Gondim via PavaBlog

Sinalizando o Reino na Política

sexta-feira, 7 de maio de 2010 23:46 Postado por Marcos Nunes
Marcadores: , ,

1

Geralmente eu estou no trânsito às 19hs quando saio do trabalho, acabei tomando gostou por fazer uma coisa que 95% dos brasileiros devem detestar: ouvir “A Voz do Brasil”. Aliás, faz algum tempo que eu tomei gostou por política e empreendedorismo. Mas eu gostaria de falar apenas sobre política hoje. Lembro quanto eu era criança, em 1989, ouvia alguns Jingles das campanhas presidenciais daquele ano:

Passa o tempo e tanta gente a trabalhar
De repente essa clareza pra votar
Sempre foi sincero de se confiar
Sem medo de ser feliz
Quero ver você chegar
Lula lá, brilha uma estrela
Lula lá, cresce a esperança
Lula lá, o Brasil criança 

Na alegria de se abraçar
Lula lá, com sinceridade
Lula lá, com toda a certeza pra você
Um primeiro voto
Pra fazer brilhar nossa estrela
Lula lá, muita gente junta
Valeu a espera…”

Naquele tempo eu não entendia nada sobre política, mas um partido e um candidato em especial me chamavam atenção: O Partido dos Trabalhadores e Luiz Inácio “Lula” da Silva. Isso não ocorria por qualquer motivo filosófico ou partidário, mas por conta da minha realidade familiar.

Naquela tempo eu passava muitas noites com o meu travesseiro em cima da cabeça para abafar o som das máquinas de costuras industriais que varavam várias madrugadas sob a condução da minha mãe mais algumas “vizinhas-amigas-sócias”. O desafio freqüente era entregar 2500 carteiras em uma semana, ou 1000 mochilas em outra....não era nada fácil, o café e o cigarro sempre estavam presentes. 


Quando eu acordava para ir ao banheiro precisava transpor aqueles enormes montes de carteiras e\ou mochilas, muitas vezes eu ficava no alto de um daqueles montes aparando as linhas que estavam sobrando nas carteiras ou desvirando as mochilas que eram costuradas do lado avesso. Até hoje eu durmo com o travesseiro em cima da cabeça, se tornou um hábito, mas sem dúvidas os tempos são outros. O “Lula lá” não aconteceu naquela eleição, aconteceu um “Collor lá”...e não lembro disso com felicidade. 


Mas na época das eleições de 1989 lembro que perguntei a minha mãe:

-Mãe, em quem a senhora vai votar para presidente?
-Não sei, acho que vou votar no Collor, mas por que está perguntando?, perguntou ela, com um tom de riso e surpresa de uma mãe que está vendo uma criança de 7 anos perguntando sobre política.
-Porque a senhora deveria votar no Partido dos Trabalhadores, a senhora não é trabalhadora... ?!?!?!?, eu respondi.

Aí..aí...é muito engraçado lembrar disso...da minha cabeça de criança....rsrsrs

Depois disso o Collor e a Zélia deram um show na Casa da Dinda ("Mãe Joana") e na poupança, o Itamar deu\viu um show da Lilian Ramos no sambódromo, o FHC deu um Show no Real e aconteceu o “FHC lá“, o “FHC lá“ teve Bis...então  o “Lula lá” virou verdade e o Jingle do "Lula lá" também teve Bis. Agora estamos novamente no momento de decidir se vai dar “Serra lá” ou “Dilma lá”, com todo respeito a nossa irmã Marina, acho que ainda não chegou a hora “Dela lá”.

Mas eu quero mesmo é falar sobre o “Magno Malta lá”...não “lá” na presidência, mas "lá" no senado fazendo de tudo para lutar de todas as maneiras contra a pedofilia. Hoje eu ouvi ele falando na “Voz do Brasil” sobre uma proposta da CPI da Pedofilia sobre a quebra do sigilo de 30.000 contas de usuários no Orkut para prender aqueles que usam esta rede social para praticar a pornografia infantil e para aliciar menores de idade.

Este senador tem sido um exemplo de alguém que abraçou uma causa e está se dedicando incansavelmente a fazer valer o voto do eleitor do Espírito Santo. Ele está fazendo de tudo para que seu mandato entre na história com projetos que pretendem até mesmo mudar a constituição para permitir a pena perpétua para quem for condenado por pedofilia.

Parece-me que ele está mesmo disposto a trabalhar para reduzir a níveis mínimos, próximos de zero, a pedofilia no nosso país. Parece-me que existem ações coordenadas por ele em vários estados da nação. Parece-me que no céu, ou seja, na plenitude do Reino de Deus não haverá pedofilia alguma. Parece-me que este nosso amado irmão em Cristo está se mostrando muito interessado em fazer com que o Brasil de hoje seja o mais parecido possível com o céu em que vamos viver amanhã. Ele, sem dúvidas, está usando o seu mandato de maneira proveitosa e está “Sinalizando o Reino na Política”.
Para saber mais sobre o Sen. Magno Malta e seus projetos Clique Aqui.

Imagem: J. Bosco, Via site do Sen. Magno Malta